Papanicolau: O exame que salva vidas


Considerado prioridade na lista dos exames de rotina das mulheres e uma das armas mais poderosas contra o câncer, a colpocitologia oncótica cervical, popularmente conhecida como Papanicolau, tem sido um exame ignorado por grande parte das mulheres.


Por esse motivo, reunimos nesse artigo as principais informações sobre a importância do exame e o motivo pelo qual ele deve ser realizado com frequência, conheça abaixo.


Para que serve o exame?

O principal objetivo do exame é a detecção do câncer de colo do útero, que pode, muitas vezes, estar relacionado com o HPV — que é um vírus transmitido por meio das relações sexuais. Além do HPV, o exame é capaz de identificar outras doenças sexualmente transmissíveis (como gonorreia, tricomoníase, sífilis, clamídia, entre outras) que estejam visíveis na avaliação da amostra de descamação coletada e na examinação genital.


Quando é preciso fazer o exame?

Atualmente o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior recomendam o início da coleta do exame a partir dos 25 anos, independente do início da vida sexual.


É um exame preventivo?

Sim! O Papanicolau costuma ser chamado, também, de “preventivo”, afinal, ele serve para detectar anormalidades no colo de útero, como lesões e verrugas pré-cancerígenas. Portanto, quando identificadas precocemente, é possível removê-las, para que não venha se desenvolver um câncer no local. Dessa forma, realizar o exame regularmente é uma importante forma de prevenção para a saúde das mulheres!


Como é feito o exame?

O exame é realizado com a paciente em posição ginecológica, com as duas pernas separadas e apoiadas em suportes. O médico ginecologista examina a parte exterior da vagina da paciente e observa se há algum corrimento ou anormalidade, logo após, introduz um espéculo vaginal (também conhecido como bico de pato) na vagina, para que seja possível a visualização do colo do útero.


Com o uso de uma espátula especial e de uma escova endocervical, é possível colher amostras do tecido uterino para analisar possíveis lesões presentes.


O material coletado é colocado em uma lâmina e levado para análise em laboratório.


Grávidas podem fazer o exame?

Sim! Inclusive, a coleta do papanicolau faz parte do pré-natal.


É necessária preparação?

Para a realização do exame a mulher não necessita de nenhuma preparação prévia. No entanto, há alguns requisitos que devem ser considerados.


• Não ter relação sexual nas 72 horas anteriores ao exame;

• Não utilizar duchas de higiene íntima;

• Não utilizar cremes ou lubrificantes vaginais.


É preciso fazer o exame todo ano?

O Ministério da Saúde recomenda que após a coleta de dois anos seguidos com resultados normais, o intervalo pode ser expandido para 3 anos.


Dói?

Geralmente é indolor. Porém, pode surgir um leve desconforto no momento da coleta dentro do canal do colo do útero.


Atenção mulheres. Esse exame salva vidas!