HIDROSSALPINGE

woman-having-painful-stomachache-at-home

A hidrossalpinge ocorre quando há um acúmulo de líquido no interior da trompa uterina.


Pode ser unilateral quando atinge apenas uma trompa ou bilateral quando atinge as duas. Provavelmente esse líquido é decorrente de uma infecção que acometeu a região pélvica causada por bactérias oriundas do trato genital ou por outras morbidades como a endometriose. A doença inflamatória pélvica ocorre por contaminação de bactérias como clamídia, micoplasma que atingem as trompas podendo levar a sua obstrução ou mau funcionamento.


A hidrossalpinge pode levar a infertilidade, por dois mecanismos: obstrução tubária impedindo o encontro dos espermatozóides com o óvulo e alterando o processo de nidação, ou seja, implantação do embrião no endométrio.


A alteração na função tubária é uma das principais causas de infertilidade feminina acometendo muitas mulheres jovens.


Existe várias patologias que podem alterar a função tubária como: endometriose, gravidez ectópica, aderências pélvicas, doença inflamatória pélvica.
Diagnóstico pode ser feito através de vários exames de acordo com o caso clinico:

 

  • Histerossalpingografia

  • Ultrassonografia transvaginal

  • Ressonância magnética da pelve

  • Vídeo laparoscopia

O tratamento é cirúrgico através da vídeo laparoscopia ou medicamentoso e o sucesso desta esta na dependência do grau da lesão, quanto maior a lesão pior o prognóstico da cirurgia.


Para pacientes com lesão extensa e obstrução o melhor tratamento da infertilidade é a fertilização in vitro e a taxa de sucesso da FIV pode estar abaixo do esperado porque o líquido que se encontra no interior da trompa pode interferir com o processo de nidação, assim, é consenso na literatura médica indicar a salpingectomia (retirada da trompa) para melhorar o resultado da FIV, melhorando a taxa de implantação e diminuindo a taxa de abortamento.