Quando consultar um especialista?

• Casais que tentam engravidar, sem sucesso, a mais de um ano devem realizar uma investigação inicial básica que deve incluir ultrassonografia, histerossalpingografia, dosagem hormonal e espermograma. Esta pesquisa deve ser sempre realizada no casal por existir a possibilidade de alterações em ambos.


• Mulheres com mais de 35 anos e que tentam engravidar a mais de seis meses sem sucesso, também devem realizar investigação.

• Casais que apresentam condições que predisponham a infertilidade como, por exemplo, endometriose, miomas, ciclos menstruais irregulares, síndrome dos ovários policísticos, gestação ectópica anterior (geralmente nas trompas), laqueadura tubária, ocorrência de dois ou mais abortos consecutivos, baixa produção de espermatozoides e vasectomia.

A pesquisa deve ser sempre realizada no casal.

 

A frequência das causas de infertilidade tem distribuição semelhante em ambos os sexos, sendo o fator feminino responsável por 30% dos casos, o fator masculino por 30 %, e o fator de causa mista por 30%, e em 10 % é sem causa aparente.

Além do exame físico, alguns exames são muito importantes e devem ser considerados:

 

Na mulher

• Ultrassonografia transvaginal tradicional e seriada para controle da ovulação;
• Histerossalpingografia;
• Dosagens hormonais.

No homem

• Espermograma com processamento seminal

Alguns exames mais complexos poderão ser necessários de acordo com cada caso. Podemos citar como exemplo:

 

• Pesquisa imunológica;
• Pesquisa genética;
• Vídeo laparoscopia;
• Vídeo Histeroscopia;
• Ultrassonografia de bolsa escrotal;
• Biópsia testicular;
• Tece;
• Microdeleção do cromossoma y;
• Outras dosagens hormonais;
• Teste pós-coito.

Além destes, alguns exames de rotina pré-concepcionais podem ser considerados:

• Tipagem sanguinea do casal;
• Exames sorológicos para HIV, sífilis, rubéola, toxoplasmose, hepatites b e c;
• Papanicolau.

transvaginal-ultrasound.jpg
Histerossalpingografia.jpg