Já ouviu falar em Infertilidade Secundária?


Esse é um assunto muito comum entre casais que planejam aumentar a família, mas que enfrentam problemas para conseguir engravidar do segundo filho. Apesar de parecer estranho, é possível que, entre uma gestação e outra, o casal passe por mudanças que prejudiquem sua fertilidade.


Segundo a Dra. Waleska de Carvalho, especialista em reprodução humana, o termo infertilidade secundaria refere se a pais que após um ano de relações sexuais sem proteção, não conseguiram gerar outro filho. Consideram-se também aqueles que tiveram episódios de abortos recorrentes.


Os fatores que influenciam a fertilidade primária e secundária são praticamente iguais.


Em relação às mulheres, o problema pode estar relacionado a vários fatores. Inflamações das tubas uterinas, problemas na ovulação, alterações no endométrio, no útero, oscilações hormonais e endometriose. A idade traz um peso grande para a mulher. Já que seus óvulos envelhecem com o passar dos anos.


Nos homens, a causa pode ser devido à baixa contagem e qualidade de espermas, varicocele e problemas de ejaculação.  


Além dos problemas reprodutivos, o estilo de vida do casal também pode interferir na hora de tentar o segundo filho, como drogas, álcool, doenças sexualmente transmissíveis, baixa frequência sexual e o excesso de peso.


A investigação é praticamente a mesma da infertilidade primária. A mulher passa por exames hormonais, de ovulação e de ultrassom, que avaliam a estrutura do útero e das trompas, e verificam se há alguma anomalia nesta região.


Já no homem, o teste principal é o espermograma. Que analisa a quantidade e a qualidade do espermatozoide. Porém, o casal também deve realizar exames de sangue para verificar a presença de doenças pontuais.


O tratamento para cada caso dependerá, primeiramente, do diagnóstico correto.  Entre as diversas opções, as mais comuns são: a Inseminação intrauterina (IIU) ou inseminação artificial, que é uma técnica de baixa complexidade em que os espermatozoides são depositados na cavidade uterina durante a ovulação programada da mulher; e a fertilização in vitro (FIV), cuja fecundação é feito em laboratório e somente após a fecundação o embrião é colocado no útero da mulher, sendo, portanto, de maior complexidade.


Portanto, se a segunda gestação está demorando muito, ou se você tem motivos para suspeitar que existam outros fatores causando a infertilidade secundária, procure ajuda especializada.