Útero Bicorno. Você já ouviu falar?


Poucas pessoas sabem, mas algumas mulheres apresentam formatos diferentes de úteros e já nascem com essa condição, que se caracteriza por alterações na cavidade uterina durante o período embrionário.


Na maioria dos casos, essa alteração não leva ao aparecimento de sinais ou sintomas. Porém, algumas mulheres costumam apresentar alguns sintomas, que incluem:


✅Desconforto durante a ovulação;


✅Dor abdominal;


✅Dor durante a relação sexual;


✅Menstruação irregular.


Geralmente as mulheres que possuem o útero bicorno não costumam apresentar dificuldades para engravidar, mas em alguns casos podem sofrer abortos espontâneos ou um parto prematuro, isso devido ao tamanho reduzido do útero ou à ocorrência de contrações uterinas irregulares.


O diagnóstico é feito através de alguns exames de imagem. Os mais importantes são:


*️⃣Ultrassonografia transvaginal, de preferência a 3D;


*️⃣Histerossalpingografia;


*️⃣Ressonância magnética;


*️⃣Histeroscopia.


Sobre o tratamento, aqui a famosa frase “cada caso é um caso” se encaixa bem.


Como normalmente o útero bicorno não chega a desencadear sintomas ou complicações, exceto pela intensificação das dores menstruais ou desconforto, apenas se faz necessário iniciar um tratamento específico quando se descobre que essa anomalia pode ser uma causa de infertilidade.


Nesses casos, pode-se considerar uma possível intervenção cirúrgica denominada histeroscopia, visando corrigir o defeito do útero.


É bom lembrar que nenhum tratamento deve ser iniciado antes de um diagnóstico completo e especializado.